UA-74104169-1
auto estima em homens e mulheres

Como a autoestima influência na sexualidade de homens e mulheres

Estamos vivendo um momento de superexposição de modelos corporais nos meios de comunicação e esse modelo contribuiu para divulgação de uma visão corpórea estereotipada e determinada pelas relações de mercado. A mídia contemporânea vincula somente corpos que se encaixam em um padrão estético considerado “aceitável”, mediado pelos interesses da indústria de consumo, e não condizente com a realidade da mulher e do homem brasileiro em relação a sua satisfação sexual.

Homens e mulheres devem aceitar o seu corpo físico e o corpo físico do outro e estarem cientes que o envolvimento emocional e físico no sexo, assim como sua autoestima, contribuem para sexualidade saudável e feliz. Saúde Sexual, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS, 2002), é integração de um bem estar físico, emocional, intelectual e social em relação a sexualidade, e não pode ser simplesmente relacionada à ausência de doenças e disfunções, além de ser a habilidade de mulheres e homens para desfrutar e expressar sua sexualidade, sem risco, coerção, violência e discriminação. A satisfação sexual está diretamente relacionada a aceitação corporal, sem vergonha e pudores.

A importância da saúde sexual para a qualidade de vida está sendo reconhecida nos últimos anos. Sabe-se que problemas na vida sexual podem causar efeitos danosos sobre a autoestima e seus relacionamentos. De forma inversa, a baixa autoestima também prejudica a sexualidade. Diante deste pensamento, estudiosos observam associação significativa entre disfunção sexual e sentimentos de insatisfação física e emocional. Muitas pessoas associam erroneamente problemas sexuais com a estética corporal e, assim, iniciam um processo de baixa autoestima, afastamento físico entre o casal e bloqueio sexual individual. Esta atitude poderá prejudicar a vida sexual do casal.

Ter saúde física e emocional contribui para um sexo saudável e prazeroso, sem haver necessidade da estética. Para ter uma sexualidade saudável é importante o envolvimento emocional e físico, e não ter um corpo “sarado”. A estética não é sinônimo de satisfação sexual, e sim autoestima, cumplicidade, parceria, intimidade e prazer. Homens e mulheres bloqueiam-se sexualmente por vergonha de alguma parte do corpo. Esta atitude irá interferir negativamente na sua atuação sexual, com efeitos danosos para sua sexualidade. No momento da atividade sexual as pessoas querem o toque, estímulos prazerosos, olhares de desejo e cumplicidade, onde “defeitos estéticos” não são o foco.

A sexualidade saudável está diretamente relacionada a autoestima, a aceitação do próprio corpo e de como usar a criatividade durante as preliminares. Ser “bom” de cama não significa ter um corpo belo, e sim estimular adequadamente o outro e a si próprio durante o ato sexual, envolver-se, sem focar a penetração.

Fabiane Dell` Antônio – Fisioterapeuta, palestrante e consultora em sexualidade.

Fonte: http://institutoapice.com.br/

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.